Hérnia Inguinal

O que é a hérnia inguinal ? 
A hérnia inguinal da criança se faz pela persistência do conduto peritônio-vaginal ( canal que comunica o abdome com a região inguinal e inguino-escrotal  ). É conhecida como hérnia inguinal indireta. Difere da hérnia inguinal do adulto, resultante da fraqueza da parede posterior do canal inguinal.

A hérnia inguinal é comum ?
A hérnia inguinal é vista com bastante frequência . Acomete 3 % das crianças nascidas a termo ( ou seja, aquelas que não são prematuras ) e este índice aumenta
para 8 % nas prematuras .
Acometem preferencialmente o lado direito, mas podem ser bilaterais.
Os meninos são mais comumente afetados do que as meninas, na proporção de 9 : 1 .

Qual é a causa da hérnia inguinal ? 
Vou explicar primeiro o que ocorre nos meninos. Fica mais fácil de entender.
Durante a gravidez, na formação intra-uterina dos genitais masculinos, os testículos são formadas dentro do abdome (“barriga”) da criança  e eles vão descendo, até que no 7º ou 8º mês forma-se um “túnel” para que os testículos passem pela região                   inguinal ( “virilha” )  e cheguem até a bolsa escrotal ( “saquinho”) . Este canal deve cicatrizar e desaparecer até o nascimento  e se isto não acontecer , este túnel fica aberto e permite a passagem das estruturas do abdome para a região inguino-escrotal  ( ou seja, o intestino pode ocupar o “saquinho” da criança ).
Nas meninas este “túnel” se forma para permitir a passagem do ligamento redondo ( um dos mecanismos de fixação do útero) em direção aos grandes lábios.

Quais são as manifestações clínicas da hérnia inguinal ?
É descrita pelos pais como uma bolinha na virilha da criança ou, nos casos dos meninos, como bolinha no saquinho. Geralmente notado pelos pais ou pediatra da criança, tornando-se mais evidente na presença de esforços ( choro, tosse, grito, espirro, evacuação,… ) .É comum as mães relatarem a presença da hérnia durante o banho ou durante a troca de fralda dos filhos .

A hérnia inguinal pode complicar ? De que forma ?
A hérnia inguinal pode encarcerar , ou seja, ficar presa. É quando as alças intestinais entram dentro daquele canal que liga o abdome à região inguinal e ficam presas, podendo ocorrer sofrimento vascular e necrose das mesmas (  o intestino pode           tornar-se inviável, “apodrecer” ) .
No sexo masculino o conteúdo encarcerado mais frequentemente é o intestino delgado. Além da possibilidade de necrose intestinal, a alça herniada pode comprimir o cordão espermático e provocar sofrimento vascular do testículo, inclusive com sua necrose         ( quando um menino apresenta hérnia inguinal encarcerada, esta hérnia pode impedir que chegue sangue no testículo, levando até mesmo a perda do testículo ! ) .
No sexo feminino é o ovário que encarcera na maioria das vezes ( quando uma menina apresenta hérnia inguinal encarcerada, esta hérnia pode impedir que chegue sangue no ovário, levando a perda do ovário ! ).
Trata-se de uma emergência médica ! O cirurgião pediátrico , nestes casos, tentará reduzir a hérnia ( tentar colocá-la para dentro novamente ) , através de manobra manual. Na impossibilidade da redução, a cirurgia estará indicada. Nos quadros de hérnia encarcerada, o risco cirúrgico e o risco anestésico aumentam, assim como a possibilidade de desenvolvimento de sequelas.

Como eu sei que a hérnia inguinal do meu filho está encarcerada ?
O primeiro sinal é a dor intensa, contínua, seguida por vômitos, febre e a criança para de evacuar. Ao olhar para o abaulamento na “virilha”, você notará que ele está maior, mais avermelhado e brilhante ( pelo edema –  “ ïnchaço”)  e ao tocar nele a dor aumenta. Você também observará que a “bolinha da virilha” NÃO DESAPARECE, nem mesmo quando a criança está quieta .
Se isto acontecer não dê mais alimentos para a criança e leve-a imediatamente a um Pronto Socorro Pediátrico ou ao Cirurgião Pediátrico de sua confiança.

Por que eu preciso operar a hérnia inguinal ?
A cirurgia está indicada a todos os casos quando feito o diagnóstico .
HÉRNIA DIAGNOSTICADA = HÉRNIA OPERADA !
Por quê ?
– Principalmente pelo risco de encarceramento e estrangulamento da hérnia . Setenta por cento ( 70 % ) dos encarceramentos ocorrem nos primeiros 12 meses de vida .
– A hérnia NÃO DESAPARECE sem a cirurgia !

Como é feita a cirurgia de hérnia inguinal ? 
O tratamento consiste na dissecção, ligadura e ressecção do conduto peritônio-vaginal   ( saco herniário ) ao nível do anel inguinal profundo, procedimento conhecido como herniorrafia inguinal .
A herniorrafia inguinal é feita através de um pequeno corte ( varia de 1 – 2 cm ) na virilha . Ao encontrarmos a hérnia , ressecamos a mesma e derta forma corrigimos o defeito. A recidiva da hérnia em crianças é muito pequena ( varia de 0,5 a 1 % ) , ou seja, um vez operada a criança está curada ( diferente da hérnia do adulto, onde por vezes são necessárias várias cirurgias para correção da hérnia, por conta das recidivas do quadro ) .
A indicação eletiva da herniorrafia inguinal permite que a criança seja operada no regime de “hospital-dia”, recebendo alta no mesmo dia. Entretanto, recém-nascidos prematuros com menos de 44 semanas corrigidas, devem permanecer internados por 24 horas, mesmo em indicação eletiva, pelo risco de desenvolverem apnéia ( recém- nascidos prematuros podem ter dificuldade para respirar, pois os pulmões ainda não estão maduros o suficiente ao nascimento,  necessitando de observação clínica cuidadosa ).
As complicações pós-operatórias são INCOMUNS. Pode ocorrer recidiva da hérnia, infecção de ferida operatória, edema e hematoma em região inguinal ( ocorrem em menos de 1% dos casos ).


VARIANTES DA HÉRNIA INGUINAL


HIDROCELE

O que é ?
Corresponde à presença de líquido no interior da túnica vaginal ( “líquido no saquinho” ).

Quais são os tipos de hidrocele ?

Hidrocele comunicante :
Neste tipo de hidrocele o abaulamento da região escrotal é cístico e caracteriza-se pela variação de volume identificada sem dificuldades pelos pais ( os pais dizem o saquinho da criança fica cheio e depois vazio ) .
Aqui impõe-se o tratamento cirúrgico ao diagnóstico, à semelhança da hérnia inguinoescrotal.

Hidrocele não-comunicante :
Aumento da bolsa testicular, de consistência cística, cujo volume não varia ao longo do dia (os pais referem que o saquinho está sempre cheio, do mesmo tamanho).
Nestes casos a conduta pode ser expectante até o         6° mês de vida, pois o líquido pode ser reabsorvido pelo organismo.


CISTO DE CORDÃO

O que é ?
Abaulamento cístico de limites definidos que não varia de volume à manipulação, localizada no canal inguinal ou em suas proximidades.
O correspondente no sexo feminino chama-se de cisto de Nuck que corresponde a uma tumoração cística no canal inguinal, com as mesmas características do cisto de cordão.
O tratamento é cirúrgico ao diagnóstico. Pode ter indicação cirúrgica de urgência se for impossível pelo exame clínico diferenciá-lo de hérnia encarcerada.

%d blogueiros gostam disto: